terça-feira, maio 19

Das Touradas, dos Touros e dos Toureados

Agora, aberta a época vamos lá então a ver … Eu, gosto de Touradas, gosto de Touros e tenho uma compaixão pelos Toureados.
Quem são os Toureados?
Ora, os Toureados são os que julgam que é a marrar com com os Touros que se ganha a lide! E não é, daí a minha sincera compaixão.


Bom, mas adiante.

Eu gosto de Touradas e esta coisa acaba por me estar nas veias, e quando tenho o azar de ouvir alguém defender a teoria dos coitadinhos dos Touros, eu, salto logo já nem é bem em forma de Touro já vai mesmo ao jeito de Leão! Mas coitadinhos porquê?
Ah porque andam ali na lide a ser maltratados e torturados … ai andam, então e a costeleta de novilho que salta para o pratinho e o bifezorro ainda em sangue não é tortura??
É bonito defender o direito dos animais, eu sei que é uma coisa bonita, fica bem, é politicamente correcto, certo. Mas a mim parece-me uma valente hipocrisia, eu acabo sempre por fazer uma única pergunta. Mas és vegetariano/a??
Ai não és então cala-te e come!

Não dá para aguentar. É uma tradição, é um espectáculo é a cultura de um povo, só aceito criticas, protestos e coisas calorosas como motins se os mesmos forem realizados por malta que se dedica à erva … a comer pasto só pasto nada de proteínas animais!

A lide de Touros bravos é a arte Tauromáquica, em Portugal temos a lide a cavalo levada a cabo por um cavaleiro, e a lide a pé e posteriormente a pega. A lide consiste na colocação de ferros, farpas, começando com ferros longos sendo o auge do espectáculo os ferros curtos, ditos “de palmo”. Ora o que “doí” a quem vê e não entranha é ver o animal a ser ferrado … compreendo … e a costeleta chegou ao pratinho como?? O garfinho espeta onde?? Ah tá bem, nas batatas …!

Faça-se saber que no dia em que acabarem as Touradas, dia que espero nunca acontecer, os Touros Bravos ou Touros de Lide deixam de ter razão de existir. As ganadarias só criam bichos destes para as Touradas, sendo que estes animais são criados como nenhum outro idêntico, andam à solta em estado semi-selvagem … não se reduzem as paredes com o único objectivo de abate …

Faça-se saber que em Portugal as Touradas de morte foram proibidas por Marquês de Pombal, e não foi por considerar um acto de crueldade o que acontece numa praça de Touros … foi porque numa trágica corrida faleceu uma grande figura nobiliárquica estimada pelo monarca, e então o Monarca proibiu as Touradas de morte, não fosse morrer mais algum Touro importante...!!!

Isto de eu gostar de Touradas tem uma justificação, o meu pai pertenceu a grupos de forcados, e eu acabei por crescer com esta realidade. Como forcado lidou em praças portuguesas e estrangeiras e, acreditem que lidar um Touro bravo não deve ser um petisco igual ao lidar com uma costeleta de novilho …
Ora aqui está uma foto do grupo de forcados do meu pai, onde o mesmo se encontra, desta feita na Praça de Touros S. Francisco, em Oviedo.

11 comentários:

Eduarda disse...

Temos Forcado!!!!

Cristiana disse...

Tivemos ...

PAULO LONTRO disse...

Cristiana, eu não gosto de touradas como não gosto de ballet.
Não gosto, não vejo!
Respeito quem não gosta como respeito quem gosta.
Aceito ainda que é um espectáculo e que é uma tradição.

O que me deixou a pensar foi o argumento que tu colas a quem é contra as touradas, o facto de comerem carne.
O que está implícito nos argumentos de ambos os lados é o sofrimento e não podemos dizer que o sofrimento antes da morte dos que morrem de ataque cardíaco é o mesmo sofrimento dos que estão anos com um cancro, vivos e a fazer quimioterapia. O resultado vai ser o mesmo, a morte mas o sofrimento até lá é bem diferente. Concordas comigo?

Todos sabemos que um animal que serve para alimentação humana morre, nos dias de hoje, muito rápido e com o sofrimento reduzido o que não acontece com os touros durante a lide. Contudo o resultado é o mesmo os dois animais terão o mesmo fim que é a morte.

Esta luta dos Prós e Contras é muitas vezes feita com as armas erradas ou seja argumentos errados e na minha opinião é o que acontece no teu post. Raciocínio certo, lógico e com sentimento compressível mas em base errada, a questão dos contra não pode ser posta no prato como se de um bife de novilho se tratasse.

Parabéns a ti por teres tido um pai com coragem e arte para ser forcado.

Cristiana disse...

Paulo,
Pois que o argumento prima pela ironia é claro que a questão não se reduz a este simples e ironico argumento. Mas a mim faz-me confusão a preocupação dos defensores dos direitos dos animais quando se centram nas lutas contra as Touradas, é um espetáculo, uma tradição, só vê quem quer, só gosta quem aprecia. Não se pode acabar com tudo o que implique sofrimento para os animais, e é aqui que vem a história da costeleta de novilho, e quem diz isso diz a produção de Foie-Gras que não é mais que um fígado doente à pressão, ou a forma como os porcos são abertos ainda vivos nos matadores, ou as focas bébes mortas às centenas para fazer UM casaco de peles ... exemplos não faltaram!

O que não me parece lógico é que se acabe com uma tradição só porque meia dúzia de bons apreciadores de costeleta de novilho não aprecie Touradas!

Portanto apesar de ironizada no post a questão do sofrimento é relativa, faz-me lembrar aquela história dos miudos, queres apanhar com a mão esquerda ou com a direita??
É relativo e impossivél de conciliar!

PKB no T12 disse...

Não sou vegetariana, mas detesto touradas. Aqui, não estamos de acordo. Hoje lavo eu a louça, vá...

PG disse...

E tourada das grandes é uma professora ( de Espinho e de História ) frustrada sexual,pessoal e profissionalmente dizer " amiguíssimo" aos alunos durante uma aula!
OLÉ, STORA!!!

Cristiana disse...

PKB,
Não te preocupes também não podemos gostar de tudo! Uns gostam de Touradas outros gostam só de Touros outros ficam-se por ser Toureados ... escolhas que se fazem na vidinha simples e singular!

Cristiana disse...

PG,
Olé, Stora!!!

Olé Olé!

E isto de ser "amiguíssimo" não é para todos é só para os do peito!

BJS

PKB no T12 disse...

Ehehehe Folgo em saber que repararam que a senhora andou tanto tempo na escola e diz "amiguíssimos" :p) Olé, sim senhora!

bica disse...

Duvido que aqueles que são contra as Touradas, também pensem nos dtos dos animais enquanto se lambuzam com um prato de caracóis ou agarrados a uma lagosta...De certeza que têm conhecimento do modo de confecção destes alimentos perfeitamente supérfluos, mas aí os bichinhos não devem ter qq sofrimento. Ai deles, os sacanas dos animaizinhos!!!

Venha de lá essa temporada tauromáquica!!!

Anónimo disse...

Não é o nr. de pessoas que se manifestam que interessa, nunca foi. As grandes mudanças da história foram sempre impulsionadas por um ou dois corajosos que ousaram pôr em causa uma mentalidade decrépita e velhos preconceitos, até aí comumente aceites. Por outro lado, o nr. de pessoas que estão presentes não revela a posição de todo um país: Há muitas pessoas que não podem estar presentes, seja pela distância, seja por motivos de ordem profissional ou pessoal, ou muito simplesmente porque não será a sua forma de o afirmarem. Sondagens revelam que a maioria dos portugueses são contra este espectáculo bárbaro e degradante. As reacções dos aficcionados revelam bem o desespero, a mentalidade obtusa e a falta de cultura - a avaliar pelos erros ortográficos, para já nem falar no resto... - que grassa nesse meio. Os argumentos esfarrapados que usam, tais como o presumido regime alimentar de quem se opõe às touradas mostra bem a falta de argumentos válidos para defender a posição que sustentam sem recorrer a outros assuntos que nada tem a ver com a questão...( E se isso interessasse, Carlos Clemente e outros, poderia dizer-lhe que eu sou contra as touradas e sou vegetariana, tal como muitas pessoas que conheço mas não vejo como uma coisa possa ter a ver com a outra, nem porque esse assunto possa ser para aqui chamado...)
As touradas são espectáculos degradantes, cruéis, que infligem sofrimento inútil a touros e cavalos. Como cidadão portugues, só posso orgulhar-me e agradecer vivamente a quem prescinde do seu tempo para fazer com que as touradas acabem.