terça-feira, agosto 19

Previsões


Isto de ler, adivinhar ou prever o futuro é coisa que não sei fazer e desconfio que não gostaria de saber … Sempre que me deito a ler alguma coisa sobre este assunto, nessas revistinhas de festinhas e acontecimentozinhos ditos sociais, tiro assim de repente duas conclusões que de tão obvias chateiam.


Todos ao apontamentos sobre esse assunto são de um rigor estonteante … Seja previsão da Maya, da Maria Helena, da Heloisa Miranda ou da Iluminadíssima Alexandra Solnado vai tudo dar ao mesmo! Ah e tal o amor espreita (se espreita!!!), na saúde tenha cuidadinho (um aspegic aqui outro ali… uma queda aqui outra ali …) e quanto ao dinheiro não esbanje (para isso era preciso ter, ó filha!) … ahhhhhhh tão satisfeita que fico, eu e os restantes palermas que se dão ao estúpido trabalho de ler estas m****dinhas


Todas as fulaninhas que se dão ao trabalhinho de fazerem um copy paste semanal das previsões para publicar nesta ou naquela revista e com isso embolsar o tacho semanal, são de um SACANA de um nível!!!!! Dá-me a, nítida, sensação que é uma espécie de candomblé ou coisa parecida … É que é uma coisa comum a todas o “pirosismo” a botinha branca de verniz por esta razão, principalmente, estou convicta que jamais gostaria de me embrenhar nesse mundo de prever isto ou aquilo!

4 comentários:

Eduarda disse...

ohh Cristiana isto não era para contar a ninguem .... é que estragas o negocio á Senhora Dona Maya... so te digo uma coisa ... ainda bem que nós que não somos de gozos

Cristiana disse...

Senhora Dona Maya é de uma fineza digna de um lobo do mar! AHAHAHAAHAHAHAHAHAHAHAHA

Anónimo disse...

Não tem graça nenhuma!

ón animus disse...

Acerca de magos e bruxos, quedo me pelo Bandarra e pelo Nostradamus, vá lá! há que dar crédito à arte de escrever futurologia em verso e fica sempre bem ter um ou outro livrito cheio de arabescos para criar conversa entre a "turba" que de vez em quando nos enche o salão.

Fora parte estes dois, essas "caturras" do Tarot e demais efeverscências místicas tenho uma cartinha que lhes assenta que nem uma luva, sendo essa cartinha nada mais nada menos que a TORRE.

É que pode até ser coincidência mas as ditas atrólogas tarólogas e outras ólogas que começam sempre muito dignas, acabam inevitávelmente por descambar em quadrilheiras "papa-meninos" como aí a abelha Maya.

Mas pronto, como diria a saudosa (chiççça) Alcina Lameiras: Não negue à partida uma ciência que não conhece.

Pessoalmente coloco essas gentes no mesmo saco da Sibéria; que toda a gente sabe onde é mas ninguem lá quer ir.