quinta-feira, maio 15

Cenas

Já que o tema predominante são as patifarias de tenra idade, cumpre-me mencionar um pequeno apontamento que ocorreu com a minha pessoa. Não consigo situar exactamente no tempo mas atiro a situação lá para o ano de 1992 ou 1993 …

A cena hilariante passou-se num chuvoso e frio Sábado de manhã… O meu pai estava excitadíssimo porque iria ser instalada a TV cabo (novidade lá em casa) naquela manhã! Eu como é de meu apanágio nem conseguia estar motivada porque sábado de manhã para mim ERA sinonimo de cu na cama até lá para a uma da tarde no MINIMO …
Acontece que os técnicos fizeram-se anunciar de madrugada, lá para as 10 horas mais coisa menos coisa!
Eu ouvia, muito ao longe, todo o burburinho que aquilo gerou, e puxa o cabo e testa aqui e testa ali, dava-me exactamente igual em todos os ângulos uma vez que me encontrava devidamente embrulhada em meia dúzia de edredons portanto perfeitamente insonorizada…
Entretanto a coisa lá se resolveu (no piso de baixo) e eu pensei pronto vão-se embora e o silêncio voltará e com os devidos descontos por ter sido importunada hoje tenho créditos para estoirar até lá para as 2 da tarde 2 e picos …
Eis que, pareceu-me ouvir um autêntico exército a subir as escadas, e eu, Oláaaaaaaaa querem ver, pus-me à escuta.
- “Então e aqui no piso de cima onde é que se encontram as tomadas”, ouvi eu!
Mauuuuuuu
O meu pai respondeu, penso que em todos os quartos!
Não pode! Não Pode! Não pode!
Não dei um salto da cama porque a preguiça era tanta que não conseguia movimentar um dedo quanto mais o corpo todo num ímpeto de sair dali.
Os Técnicos foram para um quarto, e a minha mãe, Cristiana, levanta-te que os senhores tem de vir aqui ao quarto! Eu, está bem está bem, vou já!
Os técnicos foram para o quarto dos meus pais, e a minha mãe, Cristiana, levanta-te que os senhores agora vem para aqui! Está bem vou já!
Acontece que os senhores deviam ser rápidos de mais, e quando eu me propus a levantar-me já as pessoas estavam no quarto da minha irmã que era em frente ao meu … e eu pensei, bem agora não consigo sair daqui! Em ¾ segundos achei que a dita tomada do dito serviço estaria ou atrás da cama ou atrás da mesa e resolvi que teria de ficar por ali dissimulada uma vez que os meus trajes não era próprios de apresentação!
Encontrava-me com um folclórico pijama, com uma t-shirt vestida por cima do mesmo e umas meias por cima do referido até ao joelho uma de cada cor!
Posto isto se pensei mais rápido fiz e meti-me dentro do armário da roupa, com o sentido de após aquela aborrecida pausa, voltaria para a cama e tentaria esquecer o sucedido…
Os senhores e o meu pai entraram no quarto e falavam entre eles, e neste quarto onde é que está a tomada?
Atrás da mesa não está, oiço o meu pai a dizer “deve estar dentro do armário como no outro quarto!”
Oquê???
Oquê????????
Não!?!?!?!
Pensei em 0,005 segundos, o que é que é pior, os tipos abrirem o armário e eu lá dentro ou eu sair daqui com um ar de esgaziada?
Resolvi sair, com um ar perfeitamente normal, a cumprimentar as pessoas com um simpático e cantado Booooooooom Dia!
O meu pai, coitado, que não imaginava que eu pudesse estar dentro do armário, até corou e em jeito de justificação disse para as criaturas …
NÃO É NORMAL!


(ainda hoje estou para saber se ele queria dizer que era eu que não era normal ou a situação ….!)

10 comentários:

Eduarda disse...

Como eu ADORO esta história!!! Foi noticia caso saibam!!

penso que o teu pai estaria a falar de ti mesmo, não es normal, nem queremos que sejas, essagora..gente normal é o que há para ai mais...

Genial!!

Margarida disse...

Lindo! Estou a imaginar-te...uma meia de cada côr!

Major Alvega disse...

Caríssima ...


Se me é permitido comentar (mesmo que não seja é a mesma coisa :-D) diria que a afirmação paterna, é totalmente dedicada à prole ... que é o mesmo que dizer ... a Caríssima.

Porque! Não há situações anormais ... mas sim personagens incongruentes, e convenhamos que: ..."um folclórico pijama, com uma t-shirt vestida por cima do mesmo e umas meias por cima do referido até ao joelho uma de cada cor" ... é meio caminho andado para o elenco da sequela Charlie e a Fábrica de Chocolates - Versão Hardcore.

Além do mais ... sair do armário como um simples açafate, um passe vitte, um espremedor de Citrinos ... Credo! mas que lassidão de contexto. No mínimo, seria conveniente declarar: ..." Olá! Narnia manda dizer Booooooooom Dia!" ... ou ..." Olá! Desculpem mas a Urna está na Funerária a retocar os cromados" ... enfim, algo do tipo : Ainda sei o que fizeste no Verão passado! mas nem isso !!

Sugiro diligentemente que a Caríssima, doravante, Poste um letreiro ilustrativo à sua predisposição social dos Sábados de manhã, por forma a poupar os mais incautos à dantesca visão de peúgas vitaminadas que além de cobrir o artelho, assediam descaradamente a vizinhança da rótula.

Sei lá!!! Algo do Género ... "Vós que aqui entrais, abandonai toda e qualquer Esperança!"...

Convenhamos (em jeito de Adeus) que o que é normal e fica bem, é cada um usar a cor com que nasceu ..

RESTAURADOR OLEX!

mais eficaz que o SIMPLEX


Por aqui me vou ...

Amplexos
Ósculos
e Genuflexões (Amén!)

Eduarda disse...

Olha olha quem tambem saiu do armário foi o Major...que é como quem diz, do anonimato...

Seja benvindo Sr. Major ... volte sempre ... continência e tal

Cristiana disse...

AhAhAhAhAhAh continência e tal para o Major é LINDOOOOOO!

Major Alvega disse...

Obrigado! Obrigado! Obrigado!
(uma fiel imitação da Amália Rodrigues, mas sem a componente etílica)

Saibam pois que isto de andar "Undercovered" (andércóverêd) não é para todos, e com o dinheiro que o SIS teve de esbanjar para que se soubesse apenas que o Sócrates só tinha fumado tabaco, o prémio anual e o ordenado deste mês dos Agentes, "ARDEU".

Por isso voltei "á NORMALIDADE".

Portanto, como ao Sinhôzinho Malta faltava-lhe carisma e o Noddy raiava as fronteiras da pedofilia lá teve de saltar o Major Alvega, que ... a propósito ... quando muito salta do "Cockpit" (Cóquepite ... não se atrevam a traduzir à letra !!!!!) porque voos nocturnos (entenda-se por praxe da Academia da FAP que consiste enfiar os caloiros num armario e atirá-lo pelas escadas abaixo) já não são do meu tempo.

Agradeço e dispenso a Continência ... não tenho viseira nem armadura, e uso as mistelas do Yves para afugentar as moscas :-D.

Quanto ao ... e tal ... dispensá-lo ei também, quando tiver o privilégio de o conhecer :-D


Adieu! Adieu!
À Toi,
À Moi,
Et à Lieu.

Eduarda disse...

Caro major

SE isto fosse um blog do povo diria que o "e tal" era como o Natal...o que um Homem quisesse, mas não...há aqui uma certa militância e consequentemente o tal "e tal" obedece a regras de Honras e Sinais de Respeito... e portanto mantenha a fineza que o caracteriza que é capaz de ser chamado aqui ao Estado Maior!!

Anónimo disse...

AhAhAhAhAhAhAh
ESTADO MAIOR!!!!!!!!

Até ouvi a pala a bater!
Vai buscar!

Major Alvega disse...

Pois Pois ... O Estado Maior !!!

Ora, o Estado Maior, poderá causar ao comum dos mortais, requintados arrepios nos meninges ... mas ... não fosse eu Luso dos quatro costados, ainda com umas ossadas herdadas do Viriato, e tal menção faz me tão somente estremecer, qual frémito de antecipação!!!

Mas, infelizmente, o Estado Maior, é um estado assaz familiar à minha "mui" humilde e iletrada pessoa ... porque é uma circunstância permanente no meu Ego, Super Ego e Alter Ego (ainda me lembrei do Ziper Ego mas poderia assumir conotações menos próprias e eu, afinal, sou um Cavalheiro) e também o meu mais marcante e prodigioso Ego:

O Ego que ocupa espaço...

Neste, sem dúvida sou um Verdadeiro Portento

Cara Eduarda ... seja o encanto o espelho de tão prodigioso intelecto: o Seu! E quiçá ... considerarei o convite para passar as tropas em revista :-D

Perlim pim pim!
Deixo-vos ausentes ...
de Mim!

Eduarda disse...

Querido Major

Ainda bem que conheçe e está familiarizado com as exigencias do EMG, mas aqui quem passa as tropas em revista e em parada somos mesmo nós :D !!

E tão esmiuçadinhas que as tropas são...

Cordiais Cumprimentos aqui da Marechal