segunda-feira, dezembro 15

desculpem lá mas estou orientadinha ao escangalho hoje...

Tive conhecimento de uma lindíssima história no blog do Lion (eu avisei-te que ia analisar isto) e que ele publicou para assinalar o Dia Internacional dos Direitos dos Animais, eu só a trago aqui porque é bonitaaaa e impunha-se fazer a minha abordagem á situação; essa bonita e emocionante historia que aqui e agora vos conto reporta-se aos anos 60, e nessa altura o Harrods sim “O” Harrods tinha um departamento de animais exóticos, departamento esse que o Senhor John Rendal e Ace Berg visitaram e de onde trouxeram - depois de umas 3 ou 4 ganzadas bem fortes certamente - e sob o pretexto de pena um bichinho, bichinho esse que julgaram (e muito bem) que não devia estar numa loja quanto mais numa jaula, ao bichinho deram o nome de Christian


Ora o Christian seria nada mais nada menos do que ... um Leão … não sei se estão a ver … aqueles assim a dar para o carnívoro, com patinhas pequenas??? Esses… ora aquilo é bichinho para crescer que se farta, consequentemente, passados uns tempitos de viverem com o animal acabaram-se as ganzas e tiveram de o devolver a natureza … entretanto e abreviando passa 1 ano da vida do animal no estado selvagem e eles vão procura-lo contra a vontade de muita gente… e isto é o que acontece:





Já choram??? É normal … a cena está feita para isso mesmo. Gosto particularmente de terem programado a cena do derradeiro abraço felino para o momento em que a Witney levanta o vozeirão e canta em plenos pulmões "Anddd IIIIIIIIIIIIII willll alllwwwayysssssss loooove youuuuuuuuuuuuuu" Sério, é de uma pessoa não conseguir conter as lágrimas … mas não vão em merdinhas, isto com quaisquer outras pessoas não funcionaria … deduzi isto porque me pus no lugar do Christian e olhei bem para os fulanos:

(1º)Deviam enche-lo certamente de carninha, brincadeiras, a tal cena da cama, comida e roupa lavada estão a ver?? (2º)Os senhores tinham uma juba maior que a dele, referências, exemplos, claramente a seguir e ainda por cima (3º) eram absolutamente esqueléticos, ou seja, não só não tinham isto de carne para mastigar como deviam transandar a drogas e álcool… para que é que o bichinho se ia estar a chatear a espalhar sangue no apartamento, depois policia, quarentenas, abates e essas tretas todas ????

Portanto meus caros é assim que eu vejo as coisas, há cá nada de agradecimentos “ahhh obrigada trataram-me muito bem venham aqui conhecer a minha família, não, só não valem o trabalho” … e assim se dá cabo de uma bonita história de amizade, amor, valores e cenas assim do género…

17 comentários:

LionMaster disse...

Eduarda, Linda a tua história... :P
Eu certamente também não os ia abraçar...

Mas uma coisa é certa, eles tomaram a decisão de resgatar o Christian e certamente o leãozinho agradece. Certamente acabaria os dias dele num Zoo qualquer se não fossem estes 2 senhores.

A cena da Whitney a berrar é que já não gostei tanto :)
Beijokas

Eduarda disse...

Lion, choraste não choraste?? Diz la a verdade :)

Rafeiro Perfumado disse...

Vejo que estás completamente submersa em espírito natalício!

Eduarda disse...

Rafeiro, é sou eu e o bin laden...

LionMaster disse...

Claro que não chorei... hahahah

Não me deixo levar pelas emoções com essa facilidade.

Beijokas.. ;)

Eduarda disse...

Lion, ah lá estas tu armado em leão!

v. disse...

Esta história faz-me lembrar as mulheres que depois dos 30 e na impossibilidade de encontrarem o "principe" da sua vida, adoptam um gato, porque as faz pensar que afinal têm companhia e quem lhes ature as manias e isso faz delas umas grandes mulheres.
Ora quem adopta um gato, adopta um leão. Aliás se as mulheres que adoptam gatos são grandes mulheres as mulheres que adoptam um leão são de facto fascinantes.
Mas é preciso dizer o seguinte às mulheres que pretendem adoptar um leão; Isso não faz de vocês mulheres fantásticas, faz isso sim mulheres com mais olhos que barriga, ou então com um conceito muito relativo de coragem, o que - diga-se - é básicamente a mesma coisa de que pensar que um "principe" encantado pode ser um homem selvagem adestrado!

Eduarda disse...

v., tu lá saberás o que dizes, eu pessoalmente odeio gatos, dispenso princepes, sei quem é o Homem da minha vida e tenho o leão no coração ... fantastico!

Cristiana disse...

E pronto lá se foi o Leão o Gato e o Principe ... ficou a formiguita!

v. disse...

Eduarda, cuidado não vá tanta certeza fazer-te mal à digestão!

v. disse...

Cristiana. é como vês. Eu até poderia socorrer-me aqui daquela coisa do tamanho e da resistência, mas acho que não vale a pena. Afinal nem só de zoologia vivem as metaforas!

Cristiana disse...

V.
Isso do não valer a pena deixa-me pegar aqui na ponta do atilho ... só vale a pena se a alma não for pequena, e isso todos nós sabemos que não tem a ver com a espécie nem com o género tem somente a ver com a alma!

v. disse...

Cristiana, Tudo vale a pena quando a alma não é pequena...
De súbito lembrei-me da mulher que comigo partilhou a vida durante 8 anos. Ela dizia que o tamanho não importava desde que fosse grande!

Cristiana disse...

V.
É uma verdade ... o tamanho não importa desde que seja grande ... agora depende de pessoa para pessoa a que é que cada um se refere e, penso eu, que é ai que se faz a mais importante triagem da vida!

Eduarda disse...

v., meu amigo, não são certezas, são factos!!

LionMaster disse...

Edu... temos o mesmo leão no coração... e é GIGANTE!!!

Até Morrer... ;)

Beijokas

Eduarda disse...

Lion... e feroz :)